Educação na era digital Quais os desafios
03 Julho

Educação na era digital: Quais os desafios

A educação na era digital é desafiante! A evolução tecnológica trouxe novos obstáculos à vida dos pais que tentam educar os filhos de forma saudável.

Certamente, pelo menos uma vez, todos os pais já tiveram conflitos com os seus filhos devido ao uso excessivo de computadores, smartphones, tablets, ou outros equipamentos digitais.

O problema é que muitas vezes essa questão extrapola o círculo de convívio familiar, e afeta também o processo de educação das crianças. Assim, a educação na era digital torna-se um verdadeiro desafio para pais e educadores.

Vamos agora explorar mais a fundo quais são os principais desafios enfrentados e como é possível transformar dificuldades em soluções.

Educação na era digital: A difícil tarefa de educar

Aos poucos elas foram evoluindo, e dia após dia passaram a integrar-se cada vez mais na nossa rotina. Pouco tempo passou até se tornarem uma necessidade constante. Estamos a falar das tecnologias.

É impossível mantermo-nos distantes de alguns benefícios trazidos pela era digital, como a internet por exemplo. De fato, ter acesso a qualquer tipo de informação, a qualquer momento e em qualquer lugar, trouxe muitos benefícios. Mas, trouxe também algumas dificuldades.

Os pequenos, desde muito cedo passam a ter contato com aparelhos e ferramentas digitais.

Este contato prematuro precisa ser muito bem trabalhado para não gerar problemas futuros. A palavra chave que pode mudar esta situação é: equilíbrio.

Quais as consequências trazidas pela tecnologia?

Apesar dos muitos benefícios conquistados, outros aspectos da nossa vida foram prejudicados pela evolução tecnológica.

Quando falamos da educação na era digital, ela envolve as diversas facetas inerentes ao processo de educar, seja em casa ou na escola. Problemas de distanciamento social e familiar, déficit de atenção e dificuldade de aprendizagem, passaram a ser mais frequentes.

Porém, os pais precisam aprender a lidar com a situação não somente de forma restritiva (privando as crianças de ter acesso a essas ferramentas). É também preciso que sejam compreensivos para tentar chegar a um acordo sem grandes conflitos.

Como os pais podem agir?

Os conflitos entre pais e filhos que giram em torno do uso excessivo de aparelhos digitais, acesso a internet ou redes sociais, muitas vezes são criados pelos próprios pais.

Isso porque é cada vez mais comum vermos crianças e jovens a serem “educados” através destas ferramentas.

O cenário é comum: chega a casa cansado do trabalho, o seu filho quer brincar, e o que faz? Provavelmente vai dar-lhe o seu smartphone para a mão para ele se distrair.

Sabemos que trabalhar e cuidar da família é uma tarefa exaustiva, e não estamos de todo a criticar os pais que recorrem a essas medidas. Porém, mais uma vez, é preciso equilíbrio.

Pode permitir que seu filho navegue a internet, ou jogue por algumas horas. Porém é necessário impor limites e tentar preencher o tempo dos pequenos com outras atividades.

Outra situação comum é que os filhos estejam a recorrer a esta realidade alternativa de modo a suprir um sentimento de falta ou até mesmo como uma forma de escapar de algum problema.

Os pais devem estar atentos a esse tipo de comportamento, procurar conversar abertamente com os filhos. Monitorizar os acessos também pode garantir a maior segurança das crianças e jovens.

É preciso aprender a utilizar a causa do problema a seu favor. Ou seja, os pais podem utilizar os próprios recursos digitais como forma de auxílio na educação dos filhos.

Fazer essa troca com os miúdos será favorável para harmonizar a convivência e evitar discussões sobre o assunto.

Dessa forma, os pais poderão criar os filhos de forma saudável e tornar um inimigo em aliado nesse processo tão complexo, e ao mesmo tempo tão enriquecedor, que é educar.